terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Você sabe doar?

Nos primeiros dias da nossa mudança, em meio àquela bagunça de caixas, decidi dar um tempo, e saí com as crianças para uma longa caminhada.
Sabia que havia um parque nos arredores.
Um lugar lindo de fazer esquecer as caixas que me aguardavam!
E dentre muitas boas surpresas e pernilongos também, encontramos uma estante para doação, troca de livros. Livre para receber livros libertos!


Passou logo a euforia.
Uma rápida mexida por ali e não encontrei nenhum livro de literatura.
A maioria, livros técnicos e apostilas e muitos, muitos livros escolares.
É certo que há diversas histórias com final feliz de pessoas, que encontrando esse tipo de livro, aprenderam um idioma, passaram no vestibular; mas acho que a proposta é a troca de livros de ler.
Fica nítido que muito espaço naquelas prateleiras era ocupado pelo que nos incomoda dentro de casa e não sabemos exatamente o que fazer. Especialmente no final de ano. O que se faz com os livros didáticos?
O parque tem um público grande. Gente caminhando, correndo, fazendo exercícios, passeando, namorando. A estante está cheia demais...
Ela fica num local aberto, bem visível, bem no caminho.
Será que faltam livros mais interessantes?
Qual sua opinião?
Bom, para o próximo BookCrossing Blogueiro já sei onde colocarei meus livros para baterem asas!

8 comentários:

Poesia do Bem disse...

É verdade , por vezes nãoa chamos bons livros para troca, no máximo didáticos , que até as escolas , já vi descartar. Quando servem de recorte dou as crianças para atividades de casa, para aprender mais, mas o bom é livro d eler, romance, poesia, quadrinhos, ah! Bjs e vem ver que linda novidade de livro chegou em casa

Pandora disse...

Com todo respeito tem material ai que devia ser colocado para reciclagem e não para doação! Acho que livro bom para doar é aquele livro que é bom de ler, aqueles que você se sente presenteado pela providencia por ter encontrado!

✿ chica disse...

Ana, me parece que as pessoas querem se livrar do que atrolha suas casas. Tens razão em lembrar que muitos aprendem a ler, línguas, etc assim,mas livro pra troca é diferente.

Em todo caso, a ideia de ter uma estante assim numa praça é legal! bjs, tudo de bom,chica

Dra. Cristiane Marino - Mulheres em Círculo disse...

Oi Ana Paula,

eu tinha notado exatamente a mesma coisa num parque que existe aqui perto de casa em São Paulo. De vez em quando eles promovem uma feira para doação e troca de livros e a maioria das pessoas leva dicionários, livros didáticos e etc...

Seria melhor que entregassem aos catadores de papel, isso seria valioso para eles. Tem uma cooperativa aqui perto e às vezes vejo a alegria queado um eles recebem dicionários ou livros, porque eles ganham por peso.

Isso me incomoda, é preciso saber doar! Doar pensando em como aquilo pode ser útil ao outro ao invés de apenas querer se livrar ou doar algo legal, pensando que vai alegrar a vida de alguém.
Ter sabedoria para dar o destino certo aos objetos, reflete a sabedoria que temos para com nossa vida...

Adorei o post! E desejo que sejam muito felizes na nova cidade.

Grande abraço e ótima semana

Calu B. disse...

Creio sim, Ana que faltam alguns exemplares mais atraentes, que façam voar a imaginação e despertem o interesse por mais e mais leituras.Claro, que a iniciativa é sensacional e deve dar bons frutos recebendo umas pequeninas arrumações/doações diferenciadas.

Bjkas e bom feriado pra vcs.
Calu

Coluna da Mi disse...

Oi Ana Paula.
O "não saber doar" é quase uma máxima para a maioria das pessoas.
Infelizmente aprendemos que doação é "restos" e não aquilo que pode nos fazer falta.
A verdadeira caridade é essa: doar aquilo que tu também gostaria de receber. E não o que não te faz falta, não te interessa... Ter empatia em pensar que uma doação não atrativa, de resto, pode não alegrar teu próximo também.
Também tive que aprender isso. Tinha uma visão bem deturpada da caridade material.
Beijos.

Janaína de Souza Roberto disse...

Ana, infelizmente, tendemos a doar o que nos incomoda e não nos serve mais. Realmente precisamos repensar o termo e o ato "doação". Parabéns pelo post.

Beijocas,
Blog | Youtube | Instagram

Estela Vidal Ribeiro disse...

Olá, Ana! Engraçado, eu nunca tinha parado para pensar no "saber doar". Faço muitas doações por aqui. Muitas vezes são coisas que não quero mais, que já não me servem, mas que servirão a outras pessoas. Acho que no caso dos livros é um pouco mais complicado. Nem todo mundo percebe que depois de ler, muitas vezes o bacana é passar pra frente, para que outros também possam ler. É o tal do desapego que é difícil. Quanto aos didáticos é uma pena, pois sua utilidade é realmente restrita, na minha opinião... Enfim, quem sabe se alguém colocar outros livros lá não contagie o resto da comunidade? Depois vc nos conta.
Beijo

querendoserblogueira.blogspot.com.br