sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Cinco centavos

Hoje precisei consultar o doutor. Assim, de supetão, de emergência.
Saí para comprar pão. Pão de passar manteiga e mergulhar na xícara do café com leite.
Voltava carregando o saco de papel numa das mãos, a outra, livre.
Foi então que eu vi na calçada uma moeda de cinco centavos. Brilhava.
Eu passei por ela lentamente. Hesitei por alguns segundos ou frações deles.
Segui para casa carregada de pão e tristeza.
Em casa tomei a decisão: o que tinha ocorrido era mal sinal, eu pressentia.
Deixei o pão ali mesmo na mesa e fui me consultar com o doutor.
Contei sobre a moedinha de cinco centavos que eu não baixei para apanhar.
Ele olhou os meu olho, ergueu a pálpebra e falou: "está seco, é grave".
Como seco se eu estava chorando?
Pediu um exame no meu sangue.
Esperei e soube que a gente nunca está preparado pra notícia ruim.
Chamou o meu nome e com o papel do exame começou a me falar com palavras de doutor:
"As hemácias estão boas, os glóbulos brancos também. Porém há uma carência em altíssimo nível. Uma carência estabelecida de falta de água de rio.
É grave. Quando uma pessoa deixa de ter rio que lhe navega as veias, os olhos ficam secos. Secos de rio. Perdem o brilho e já não se encantam, como os moleques que se banham em rio, com uma moedinha de cinco centavos.
Nada há de errado com seus músculos ou com seu esqueleto. A senhora não se abaixou pra apanhar a moedinha porque perdeu o brilho de rio que reflete o luar, as nuvens de tempestade, o amanhecer".
Então, gentilmente tirou um retrato que guardava no bolso do jaleco e me mostrou.
Era esse o retrato:



Essa árvore é muito velha e também pesada, mas isso não a impede de se abaixar e tocar o rio. Ela é feliz. Ela se abaixaria por uma moedinha - disse com voz de sabedoria o doutor.
Receitou-me rio. De qualquer tipo. Imenso, pequeno, córrego, ribeirão, riacho. Só não podia rio poluído.
Disse que eu mesma sentiria o olho úmido de rio, o brilho de rio descendo e subindo pelas veias e então eu voltaria a ter encantamentos por uma simples moedinha de cinco centavos.

23 comentários:

AnnE Romanini disse...

Lindo texto, realmente as vezes vamos perdendo deixando a graça e a beleza das coisas e não valorizamos as pequenas moedinhas de felicidade do dia a dia!
Bjos'ss

Lacorrilha disse...

:) Lindo.

Marcilane Santos disse...

Que encantamento de conto Ana! Incrível!

*--* Acho que observar um rio faria um bem danado para mim também!

Beijos no coração. ^^

LUCONI disse...

Ana aceitei o convite e vim correndo, que texto maravilhoso, é verdade a pior doença é esta quando perdemos o encantamento pela vida, excelente mensagem, um lindo ano pra ti, beijos Luconi

✿ chica disse...

Que lindo e faz pensar...

Manter nosso olho úmido, ter emoções,mesmo com as menores coisinhas do caminho! Adorei!

beijos,chica e FELIZ 2013 com muito de lindo , pra ver e viver!

Dama de Cinzas disse...

Lindo esse texto! Realmente nos remete a uma reflexão de como a vida nos deixou. Gostei demais.

Um feliz 2013 para ti, repleto de saúde e paz!

Beijocas

Imac by Artes disse...

Lindo seu texto amiga!
Quando nos damos conta de pequenas limitações é que sentimos o quanto o tempo passa com tanta rapidez...
Amo te ler!
Obrigada pelo carinho,pela amizade, és muito especial para mim.
Abraços! Um Ano Novo repleto de bençãos,paz,amor e muitas felicidade pra ti e os seus.

Evanir disse...

O ANO ESTÁ CHEGNDO AO SEU FINAL.
CADA MÊS DE 2012 VIVIDOS FORAM MARAVILHOSOS
TREMENDAMENTE ABENÇOADOS POR DEUS.
TEVE TANTOS DIAS DIFERENTES UM DO OUTRO
CADA TROPEÇO UM APRENDIZADO.
OS MESMOS ERROS NÃO SE REPETIRAM NO ANO NOVO.
AS MESMAS ALEGRIAS TAMBÉM NÃO VOLTARAM
A SE REPETIR .
POIS ALMEJAMOS A CADA DIA SERMOS MELHORES E MAIS FELIZEZ.
TÁ CHEGANDO A HORA , JÁ É CONTAGEM REGRESSIVA
A SEPARAÇÃO DE 2012 PARA 2013 É ENEVITAVEL O TEMPO NÃO PARA.
DESEJO UM ANO NOVO DE DURADOURA FELICIDADE.
OBRIGADA PELO CARINHO .
OBRIGADA POR CADA VISITA ESPERO PARA TODOS NÓS.
UM ANO NOVO DE SAÚDE PROSPERIDADE E ACIMA DE TUDO
FÉ, POIS É NOSSA FÉ QUE FAZ MOVER O MUDO DENTRO DE
CADA UM DE NÓS.
FELIZ 2013.
BEIJOS NO CORAÇÃO CARINHOS NA SUA ALMA.
CONTO CONTIGO ,,EVANIR

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, nem vou fazer "discurso" aqui. Simplesmente vou dizer que você, sentimentalmente, é um gênio (ou uma "gênia", rs!).
Tudo isso é muito verdadeiro e lindo.
Beijo
Manoel

Flávia Brito disse...

Lindo texto... fiquei mesmo emocionada, isso depois de perceber que você estva poetizando e não doente... rsrs. Gosto muito de vir aqui, sempre com boas supresas. Beijos!!!

Ivani disse...

Desejo a voce nesse novo ano muito rio e água limpa, sempre...
Que seus dias sejam de alegrias, saúde e muita emoção.
Um grande beijo, Feliz Ano Novo!

Claudia disse...

Que lindo texto, Ana!
Desejo a vc e sua linda familia, um 2013 fantástico!
Grande beijo

http://blogdaclauo.blogspot.com.br/

Tina Bau Couto disse...

Ameia a foto, a árvore, o rio, a reflexão e a relação com os cinco centavos no chão e nossas definições e práticas de valores, sentidos, sentimentos...

Meu pai nos passeios de minha infância não podia ver um parafuso, um prego, um nada no chão que abaixava e pegava e sempre dizia que poderia ser útil aquilo ali.
Hoje vejo tantas coisas pelo chão e deixo
Vou começar a pegar.
Como quem pega o "lixo" do jogo de cartas e enche a mão de cartas, de possibilidades, menos estratégia e mais entrega.

A-DO-RO VC :)

Palavras disse...

Belíssimo texto!

Sensível, delicado... Lindo!

Senti falta de rio, senti vontade de me jogar... De sair à procura do rio!

Lindo mesmo! Parabéns!

Beijos

Leila

Flor de Liz disse...

Que lindo! Texto daqueles que como sempre me prenderam do início ao fim!
Acho linda a forma como escreve de sentimentos que nos cercam muitas vezes no dia-a-dia.
A correria da rotina às vezes nos faz perder o interesse pelo simples, mas é passageiro e esse tal brilho, logo volta.
Adorei!
Beijos

http://oiflordeliz.blogspot.com.br

Tammy disse...

Sua crônica me fez pensar, refletir um pouco se eu apanharia a moedinha?
Talvez eu não desse importância a ela, por ser tão barata... mas preciso do rio, o rio de Deus. Fluido do interior e inundando tudo.
Adorei a maneira simples e bonito que escreves, realmente uma poeta.
Grande Beijo querida, obrigado pela visita no meu cantinho!
Um ano novo repleto de encanto e vida em nosso interior.
Beijãooo!!!

#*Marly Bastos*# disse...

Sabe que ja tive essa secura que te deu? Esses dias eu joguei fora uma moeda de 5 centavos por preguiça de me abaixar e pegá-la, afinal vale tão pouco... E assim a gente vai deixando de lado as pequenas coisas da vida, por achar que valem pouco. Voltei no lixo e a peguei...
Beijokas doces querida e que o ano vindouro seja como manancial de águas cristalinas na tua vida e que as bençãos dos céus sejam como chuva sobre seus 365 dias.
Feliz 2013 e obrigada pela amizade e carinho!

Nyce Pinto. disse...

Belíssimo texto, profundo! Convite a reflexão! Deixo meu carinho e desejo que o ANO NOVO seja muito feliz e que tenhamos tempo "para ir até o rio" e não fiquemos carentes de suas águas! Um abraço e muita paz!

Alê Lemos disse...

É às vezes a gente meio que morre por dentro e nada consegue nos comover. o bom do ser humano, é que ele sempre pode reverter esses estados. Seus textos são tão bonitos! Porque vc não reúne tudo num livro?

A BETI disse...

Maravilhoso texto!
Um 2013 repleto de felicidades!
Bjssssssssssssssssssssssssssss

Lola disse...

Aii Ana, tu é demais!! Escreve um livro vai!?

Passei aqui para te deixar um beijão, mesmo longe dos blogs não esqueço de ti e da Laiz ( dias de mamis).
Beijões e feliz ano novo!!

Mariacininha disse...

Que maravilha Ana Paula, me emocionei.Te desejo de coração muitos, rios, riachos, lagos, açudes etc. Por favor me deseje também...
Beijos Feliz 2013, que ele seja alegre, Criativo e Leve.

Beijos e obrigado por todos seus comentários inteligentes que adoro ler.

Rovênia disse...

Ah, que inspiração bacana! Quero um rio também para sentar nas suas margens e ficar lá, balançando os pés. Quem sabe não acho uma moedinha de cinco centavos lá no fundo?

Bom ter lido isso!