sexta-feira, 13 de julho de 2012

A propaganda da caderneta




A primeira vez que eu ouvi esta palavra "molesquine", estava em uma livraria e achei que se referisse a algum tipo de sapato.
O natal se aproximava; as moças que falavam do tal ou da tal molesquine, decidiram que seria melhor presente de amigo secreto do que um livro. "Ficam ali embaixo. Vamos lá escolher".
E eu também fui. Não para escolher, mas para saber do que se tratava. Afinal que, sapatos não eram.
Uma caderneta. Ah!
Oh! E bem demasiadamente custosa. Caríssima eu diria.
Já em casa e com a sensação de que faltava algo a saber, eu fui perguntar para o Google porque eram tão caras as tais cadernetas.
E descobri a fama delas. Grandes nomes, especialmente da literatura, faziem seus esboços, rascunhos na molesquine que os acompanham por cafés, bares, rochas e montanhas.
O que é a fama, o status de celebridade de um caderninho...
A gente quase acha que possuir um artefato desses e sentar-se num café, far-nos-á produzir uma literatura da luminescência de uma constelação.
Aí, a gente se lembra de um comentário da amiga Tina: "para escrever serve pedaço de papel, guardanapo". Serve também a caderneta e o caderno de receitas ganhos nos sorteios de blogs amigos. Escrever é só começar!
Vou contar um segredo ( eu tenho uma molesquine – genérica – e nem sabia! )
Mas isto é uma outra história.

19 comentários:

Ivani disse...

Que engraçado isso, eu também não conhecia essa palavra.
E vamos combinar - caderneta - êta palavrinha feia essa em? não supera a fronha, mas é bem feinha...
penso como a Tina, se viver alguma inspiração longe do computador, a gente anota em qualquer lugar.
tenho o hábito de usar os cadernos "malacabados" dos netos, que sobram de ano pra ano, e ficam um ou outro rolando por aqui.
estou curiosa pela continuação...beijos e lindo fim de semana.

Su disse...

Ana Paula, também pensei que fosse sapato, rsrs tipo mocassim... Nossa nunca tive uma molesquine, sempre achei tão pequena que nunca me interessei por elas, gosto mesmo é de agenda grande, caderno grande...rs Acho que é coisa de professora!

Beijos e adorei a curiosidade!

Su.

✿ chica disse...

Putz, não sabia, mas acho que tenho,srrs beijo praianos,chica

Rafaela disse...

Eu tenho um caderninho das princesas e me é muito útil!!
Puxo ele na frente de qualquer pessoa, sem medo de ser feliz.
Beijos

Aleska disse...

eu também não conhecia essa tal de molesquine, mas até deu vontade de comprar pelos motivos que vc disse kkkk, mas ainda bem que vc falou dos cadernos sorteados, tenho um aqui assim. Beijos!

Carolina Lima disse...

Ana,
bom saber que não fui a única a pensar que 'molesquine' poderia ser algum tipo de sapato. :P

Eu tenho muitas cadernetas... mas baratas!

Um ótimo final de semana!

Abraços,
Carol
www.umblogsimples.com

Obs.: Vc poderia usar sim a caneca da Magali... e sem brigas!

mfc disse...

O meu moleskine são os talões de multibanco que escrevo do seu verso quando estou parado nos semáforos e que passo ao PC logo que chego a casa!
Beijinhos, Ana Paula.

Luma Rosa disse...

O moleskine atual é legal porque você consegue abrir de tal forma que ele fica plano, o resto é puro marketing. Como pode o caderninho passar por tantas mãos famosas do passado se ele é um produto relativamente novo se comparado a idade dessas pessoas que morreram a tanto tempo?
Eu conheci a marca moleskine quando ganhei do meu marido um exemplar, ainda no formato antigo de capa e estrutura molenga - você podia colocar no bolso que não ficava volumoso. Talvez esse seja o princípio do moleskine, numa referência a um tecido italiano bem molenga. As moleskines atuais são bem diferentes dos modelos clássicos e quanto mais antigo o modelo, mais caro.
Não escrevo mais em papel, só anotações mesmo! Acho que é por isso que a minha caligrafia está ficando feia :P
Bom fim de semana!! Beijus,

Sandra Portugal disse...

É amiga, recentemente minhas pares e chefe fizeram um discurso a respeito da grife das agendas!!!
E "zoaram" da minha "cadernetinha"...
E eu respondi...gente, cuidado com a roda gigante da vida...já tive dias de molesquine..hj uso agenda que ganhei no final do ano, pois o que importa é o conteúdo....
De verdade as molesquies são maravilhosas e serviram aos grandes gênios da história para registro de fatos marcantes, porém grandes idéias podem ser registradas em guardanapos ou em tablets, ou apenas na memória!

bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com.br//

Kellen Bittencourt disse...

Olá Ana Paula, passei p retribuir a visita e agradecer por me seguir, gostei do seu espaço, e obrigado por me ensinar o significado desta palavra que eu tbém não imaginaria ser uma caderneta rsrrs bjoooss e volte sempre!

blog da Paraguassu disse...

Olá Ana Paula,
Eu jamais tinha ouvido falar em molesquine e nem sabia do que se tratava. Agora aprendi aqui no seu blog. Um nome tão estranho para uma coisa tão corriqueira.
Boa lembrança a sua do que dizia a Tina. Querida amiga Tina, quantas saudades...
Um grande beijo, amiga.
Maria Paraguassu.

Claudia disse...

Ana querida
Ja pensei varias vezes em comprar um e nao comprei ate agora...
Tbe acho que o nome mais parece mocassim, ou algo do genero...rsrsr
O fato é que com tudo tão eletronico, escrevemos cade vez menos em papel...uma pena.
Obrigada pelo carinho de sempre
Adoro seu blog!
Grande beijo

http://blogdaclauo.blogspot.com.br/

Alessandra Biet disse...

Adoro inicio de ano, por vários motivos, mas um deles é ganhar cadernos agendas dos fornecedores. São perfeitas, melhor que as famosas molesquine que acabei de ser apresentada.
Beijos lindona!

Tina disse...

Onde eu estava que não vi esse post e onde estive que nunca ouvi falar desse meu mais novo objeto de desejo?
Molesquine rima com molequinha que é minha cara :)
O nome é muito chique e essas tradições me fascinam, ainda que essa seja uma tradição custosa vou colocar na minha lista.
Sobre cadernetas tenho revelações que revelam minha idade...rsrs...Amava as cadernetas que tinham ao montes no Paes Mendonça, com lindas ilustrações nas capinhas, vendiam tb nas muitas livrarias que haviam por todo canto.
Queria para anotar versos, listas (sempre fiz listas de td que vc possa imaginar e q tb não possa).
Gostava das capas, do tamanho compacto, sei lá, sempre amei td´s os artigos de papelarias :)
Peço permissão para falar da famosa caderneta por lá. Vou aqui pesquisar e sonhar, ainda que guardanapos me encham incomparavelmente de inspiração.

Tina disse...

Só uma notinha:
Eu vim aqui nesse post que passou escondidinho nas visitas constantes por aqui, para comentar, agradecer por ser citada e esclarecer que não sou a Tina que Paraguassu pensou que eu fosse.
A Tina a quem ela se refere é uma xará com quem cruzei na blogosfera, que deixou saudade e tristeza essa semana com sua partida. Ela, além de Tina como eu, gostava de azul como eu e agora com certeza está lá, no céu todinho azulzinho, brilhando como uma estrelinha do bem.

Tina disse...

Correção: Não foi nessa semana que ela partiu, foi no início do mês, mas por tds esses dias estão fazendo homenagens.
Segue link de uma homenagem feita pra ela em um blog amigo:
http://rosana-wwwgostocaipira.blogspot.com.br/2012/07/em-homenagem-tina.html

Santa Cruz disse...

Ana: Gostei do texto, mas a caneta não faz propaganda, nós a que fazemos, não sei o que é uma molesquine, eu muitas vezes escreco num pequenino bloco de apontamentos é tão pequeno que cabe no bolso da camisa. adorei ler o teu texto vou seguir teu blog.
Beijos
Santa Cruz (Diácono Gomes)

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, acho lindo em você o dom de descobrir essas coisas. Mexem com a curiosidade da gente mesmo.
Eu pensei que molesquine fosse um remédio qualquer, rs...rs.
O que importa é que nossa amiga (moleca e fôfa) Tina define bem o que precisamos para escrever e eu concordo com ela. De vez em quando me inspiro e escrevo coisas. Guardo, releio e depois rasgo. Já me arrependi por rasgar, mas...já foi, né?
Prefiro postar artigos e ler os escritos dos (as) talentosos(as) amigos(as).
Beijo
Manoel

pensandoemfamilia disse...

Então vim aprender e gostei de saber.
bjs