quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Sou uma princesa



Sim, é isto mesmo o que diz no título.
Sou uma princesa.
Ainda não me acostumei; tudo foi tão repentino, inesperado.
Quatro décadas vivendo como plebeia, e agora, assim: da noite para o dia tornei-me princesa.
Como sei que sou uma princesa?
Lembram-se daquela história na qual uma jovem ensopada de chuva dorme na casa de um príncipe e a mãe dele coloca um grão de ervilha debaixo de vinte colchões e a moça amanhece toda dolorida, com olheiras por sentir que algo a incomodou a noite toda e então é revelada uma princesa?
Então. Aconteceu comigo.
Não exatamente que eu dormi sobre vinte colchões, mas foi assim:
No alvorecer, tive meu primeiro diálogo real:
  • Oh querida! Que sono intranquilo tiveste.
  • Oh querido! Terrivelmente mal.
  • O que aconteceste, amada minha?
  • Amado meu, algo no travesseiro importunou-me por toda a noite.
Abrimos a janela, eu coloquei a mão por dentro da fronha e lá estava ela.
Bem, não era uma ervilha. Era um par de meias embolado e eu com uma sensibilidade que só uma princesa teria, senti-me terrivelmente incomodada.
  • Oh querida! Tu és uma princesa. Somente uma princesa perceberia com sua sensibilidade algo assim por dentro de uma fronha. Estou emocionado. Minha princesa!
Abraçamos-nos, saímos cavalgando pelos jardins do palácio e foi assim que da noite para o dia eu me tornei princesa.



Cachorro safado. Ontem à tarde eu estava esparramada na cama quando ele pulou para junto de mim com uma meia embolada na boca.
Vendo a situação, que representava risco dos mais elevados para o cachorro, apressei-me em salvar-lhe o pelo e enfiei a bolota de meia dentro da fronha.
Pegue qualquer meia, eu lhe disse, mas nunca as meias de quem lhe compra ração especial para pelos brilhantes.
Esqueci as meias lá dentro e tive uma noite horrível. Virava, mexia, remexia e não me ajeitava com o travesseiro, aquela ervilha gigante me incomodando e eu, em nenhum momento me lembrei do que poderia ser.
Acordei de mau humor, com dor no pescoço, olheiras... mas acordei princesa!
Desculpem-me pelas más palavras. Imagino que uma princesa não deva se expressar dessa maneira, mas como disse, tudo ainda é muito recente para mim. Preciso me acostumar a essa nova maneira de viver.
Com licença que preciso comprar chá. Nem importa o calor que está fazendo. Princesas bebem chá.
Também não sei se princesas devem ter blogs.
Enfim...

( Ivani como será que princesa fala fronha?)

A princesa e a ervilhaHans Christian Andersen
Havia uma vez um príncipe que queria se casar com uma princesa, mas não se contentava com uma princesa que não fosse de verdade. De modo que se dedicou a procurá-la no mundo inteiro, ainda que inutilmente, pois todas que via apresentavam algum defeito. Princesas havia muitas, porém não podia ter certeza, ja que sempre havia nelas algo que não estava bem. Assim, regressou ao seu reino cheio de sentimento, pois desejava muito uma princesa verdadeira! Certa noite, caiu uma tempestade horrível. Trovejava e chovia a cântaros. De repente, bateram à porta do castelo, e o rei foi pessoalmente abrir. No umbral havia uma princesa. Mas, Santo Céu, como havia ficado com o tempo e a chuva! A água escorria por seu cabelo e roupas, seu sapato estava desmanchando. Apesar disso, ela insistia que era uma princesa real e verdadeira. “Bom, isso vamos saber logo”, pensou a rainha velha. E, sem dizer uma palavra, foi ao quarto, tirou toda a roupa de cama e colocou uma ervilha no estrado, em seguida colocou vinte colchões sobre a ervilha, e sobre eles vinte almofadas feitas com as plumas mais suaves que se pode imaginar. Ali teria que dormir toda a noite a princesa. Na manhã seguinte, perguntaram-lhe como tinha dormido. -Oh, terrivelmente mal! – disse a princesa. Não consegui fechar os olhos toda a noite. Vá se saber o que havia nessa cama! Encostei-me em algo tão duro que amanheci cheia de dores. Foi horrível! Ouvindo isso, todos compreenderam que se tratava de uma verdadeira princesa, ja que havia sentido a ervilha através dos vinte colchões e vinte almofadões. Só uma princesa podia ter uma pele tão delicada. E assim o príncipe casou com ela, seguro que sua era uma princesa completa. A ervilha foi enviada a um museu onde pode ser vista, a não ser que alguém a tenha roubado.

20 comentários:

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ana Paula, eu adoro estas estórias que só você sabe contar. Ainda aguardo um final que contará com a parceria da querida amiga Ivani. De brinde, para quem não conhecia, a estorinha da Princesa e a Ervilha, rs...rs.
Muito legal!
Beijo.
Manoel.

PS: As princesas modernas podem e devem ter blogs.(Recomendação real!).

mfc disse...

Bem... mas que história!!
Uma meia que vira ervilha e uma amiga bloguista que vira princesa!!
O que eu já me ri!!
Toma muitos beijinhos... princesa... da escrita!!

✿ chica disse...

rssssssssssssss....Isso acontece...até com princesas!!! Cada uma,heim???rs beijos,chica

Imac by Artes disse...

Minha querida!
Você é fantástica! Seus textos prendem minha atenção do começo ao fim...Amo lê-los.
Abraços! Boa noite e sonhos de princesa.

Anne Lieri disse...

KKK...Ana,excelente a sua história!Esses cachorrinhos nos aprontam cada uma!...rss...adorei!bjs,

Su disse...

Ana Paula, adoreiiiii, ri muito aqui com você e com a situação. Enfim nobre-dama-princesa, melhor voltar a ser plebéia, ter blog, falar fronha com muito orgulho e rolar com seu cachorrinho pela cama, mas... de preferência sem que ele traga qualquer "bolinha" na boca!

Quanto a história da Princesa e a Ervilha, assisti no teatro, muito boa por sinal!

Beijinhos, ou talvez deva dizer, com sua permissão Princesa Ana Paula, me retiro humildemente de seu blog, ops, quer dizer, castelo!!!kkkk

Beijos moça-querida!

Su.

Ivana disse...

kkkkkk
Princesa Ana, gosto do seu tom irônico, você arrasou, bjs

Cris disse...

ki maraaaaa!
amei sabia... texto bem humorado e divertido!

amore, otima noite e quinta pra vc

bjao

Laiz disse...

hahahah Ana sua linda, ótimo acordar e ler um texto como esse! de PRINCESA!!! AHAHAHHA Bjoooooooooo

Tina disse...

Amei a imagem, amei as histórias. Não sei se mais a da meia ou a da ervilha.
Precisava dessa leveza, desse sorriso fácil hoje.
Obrigada!

* Vou levar as duas histórias para contar a meus alunos.

Obrigada tb pelo coment de ontem, encheu meu coração de carinho :)

Beijos e fica com Deus, vc e sua linda família, bem protejidinhos sob 20 penas de fênix.

Tina disse...

A propósito, imagino que princesas chamem fronhas de endumentária real dos travesseiros :)

Coisas da Vida disse...

Buon giorno Principessa!

Estou boba com tanta sensibilidade! Realmente só as princesas as têm com tanta perspicácia!

Como você disse que esta recente nesta vida de princesa, vai ai umas dicas de Philippe Lechermeier, Rébecca Dautremer Princesas Esquecidas ou Desconhecidas
(um livro de encantamentos) :

Uma verdadeira princesa nunca calça meias. Nem em pleno Inverno!
- Uma verdadeira princesa nunca tira a coroa: dorme com ela, monta a cavalo com ela, nada com ela; (Faz postagem com ela. Para as princesas contemporâneas, é claro!)
- Todas as princesas, sem exceção, cantam no banho;
- Uma princesa não rói as unhas - pelo menos em público -;
- As princesas são, por vezes, cruéis; (Não é isso que vejo nos filmes de Walt Disney !)
- Uma verdadeira princesa não come frango com as mãos - embora possa comê-lo com os pés ...
Acho que uma princesa não pode levar caixa de fósforos para o banheiro.. penso eu, que pode ser deselegante!

Estou feliz por participar de um blog de uma princesa!

Eu tenho a honra de ser, Madame, humilde e obediente serva de sua majestade!

Rafaela disse...

Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Helena Chiarello disse...

kkkkkkkkkkkkkkk!!

Aninha, você é ótima!!

Que delícia! O que vc tá esperando pra colocar isso tudo em livro, mulher?

Um beijo e meu sempre carinho!

Carolina Lima disse...

Ana,
que honra conhecer uma princesa!
Assim como você ficou maravilhada em estar na mesma fila de alguém importante que pode ir em Nova Iorque só para comprar um livro eu estou maravilhada em fazer parte do convívio social (nem que seja por meio de blog) de uma princesa!
E claro, princesas podem ter sim blog, twitter, facebook... é a modernidade chegando aos castelos! :)

Aproveito para agradecer sua participação de sempre no meu blog! :)

Beijinhos :**
Carol
www.umblogsimples.com

Ivani disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk!!!
Ana, ri muito imaginando vinte colchões amontoados e mais vinte almofadões e a coitada da moça dormindo laáááááá em cima, com a cara no forro!
Mas você, ó nobre colega, não imagina meu prazer em saber que tenho uma amiga princesa. És amiga do Rei? dá para falar de mim para ele? eu só quero um cargo público para meus filhos, lá no Reino...em Goiás.
Bom, se uma ervilha incomoda imagine um pé de meia embolado. E que diálogo mais engraçado com seu principe encantado, voce foi ótima.
Quanto á fronha (não gosto nem de escrever essa palavra) imagino que as princesas devem dizer:
- capa para travesseiros, ou cobre-travesseiros, sei lá, qualquer bobagem menos aquela...
Faz tempo que não ria tanto lendo uma postagem. Parabéns Ana, um beijo em seu anel (que deve ser enoooooorme) e curvo-me ante vós...
(não esquece de falar com o Rei!).

Mirys + Guigo + Nina disse...

AMEI!!!!
ADOREI, ADOREI, ADOREI!!!
Sensacional seu texto! Qualquer hora, eu "roubo" e publico lá no Diário!

Bjos e bençãos.
Mirys
www.diariodos3mosqueteiros.blogspot.com

Lola disse...

Oi princesa! Que texto bem lindo!! Adorei viu! Beijosss

Lola disse...

mimosa, as tuas palavras confortam tanto...; adorei! Beijos

Mãe de três disse...

Muito prazer em conhecê-la Princesa Ana Paula!
Venho através dessa te convidar para continuar escrevendo textos tão bons, prometo que voltarei ao seu reino, e serei sua seguidora de todo coração.
Assinado : Cynthia ( uma simples plebéia)!